Revista UFO - Portal da Ufologia Brasileira - A mais antiga revista sobre discos voadores do mundo

ARTIGO DE CAPA

Por Giorgio Bongiovanni

Contatos com alienígenas no espaço

O que os Estados Unidos e a Rússia ainda escondem sobre a conquista da Lua

Categoria: ASTRONÁUTICA | LUA | MARTE | SEGREDOS ESPACIAIS
crédito: philipe kling david
ampliar
Em junho de 1965, os astronautas norte-americanos Edward White e James McDivitt, a bordo da Gemini 4, avistaram um singular objeto cilíndrico, caracterizado por saliências semelhantes a braços
SAIBA MAIS
Volta o debate sobre mistérios na Lua Ufologia: O novo Colégio dos Magos Os astronautas perdidos e os misteriosos discos de pedra

A conquista da Lua, em 20 de julho de 1969, foi a natural conclusão de um programa norte-americano iniciado em maio de 1961, com o objetivo de ultrapassar a supremacia da URSS no espaço. Mas analisando agora a História, descobrimos etapas tecnológicas que tornaram possível a tão almejada conquista de nosso satélite, na realidade iniciada ainda antes de 1961, que só foi atingida por meio de dois programas anteriores da National Aeronautics and Space Administration (NASA): Mercury e Gemini. O projeto Mercury foi a primeira tentativa de se testar sistemas e tecnologias espaciais capazes de transportar um astronauta por vez ao espaço. Através dele, John Glenn, Scott Carpenter e até mesmo Gordon Cooper tiveram a possibilidade de encontrar naves extraterrestres em órbita da Terra, sendo auxiliados por ETs em suas missões.

 

Já o projeto Gemini, iniciou-se em 1964 e contava com cápsulas que podiam hospedar dois astronautas. E foi logo após o lançamento da Gemini 1 que as telas dos radares da NASA registraram um fato enigmático. Quatro objetos desconhecidos se aproximaram da espaçonave – dois acima, um abaixo e um em sua retaguarda. Conservaram esta posição por uma órbita inteira, ao fim da qual mudaram impressionantemente sua rota e partiram. A notícia foi publicada no jornal True, em janeiro de 1965. A missão Gemini 1, na verdade, era um vôo de teste, sem tripulação a bordo. Mas quando astronautas realizaram outros vôos do mesmo programa, meses depois, muitos tiveram contatos com ETs no espaço, mas somente alguns deles tiveram coragem de falar a respeito. A maioria preferiu aderir à férrea conspiração do silêncio imposta pela NASA. Afinal, tais homens eram de origem militar, ainda que isso não os isente da responsabilidade de informar seus semelhantes sobre uma verdade que pertence a toda a Humanidade.

 

Em junho de 1965, os astronautas norte-americanos Edward White e James McDivitt, a bordo da Gemini 4, avistaram um singular objeto cilíndrico, caracterizado por saliências semelhantes a braços. McDivitt, dentro do habitáculo da espaçonave, conseguiu registrá-lo com a filmadora de bordo. Depois de algum tempo, o objeto desconhecido desapareceu, deixando lugar a outros dois, semelhantes ao primeiro. Este segundo avistamento também foi documentado e algumas fotos chegaram à imprensa, acompanhadas de “explicações oficiais” por parte da NASA, que negou tudo. A agência alegou que se tratava do satélite artificial Pegasus B, mas depois se descobriu que este se encontrava, no momento, a pelo menos 1.800 km da Gemini.

Moradores Lunares —
Em dezembro de 1965, os astronautas Frank Borman e James Lovell disseram ter visto um objeto não identificado quando estavam a bordo da Gemini 7. A NASA novamente sugeriu uma explicação oficial, desta vez de que se tratava do foguete vetor da nave. Borman respondeu que também havia visto aquilo, mas o UFO era algo diferente.

Atenção
Para continuar lendo este artigo, você deve se cadastrar no Portal UFO.
O cadastramento é gratuito e dá acesso a todo o conteúdo do site. Basta clicar aqui.
Caso já tenha cadastro, conecte-se na home do site ou clique aqui.
ENQUETE
  GENIAIS.COM   
Edição 258
Sumário Edições anteriores

CENTRAL DE ATENDIMENTO

(67) 3341-8231
Horário: das 09h00 às 18h00, de segunda a sexta (exceto feriados)

FORMAS DE PAGAMENTO

Formas de pagamento

NOTÍCIAS MAIS VISUALIZADAS

+ NOTÍCIAS
2011 © Editora Evolução Ltda.
Todos os direitos reservados. Termos de Uso. Declaração de privacidade.